Educare – Apreender

Marcio Boruchowski

"Você pode ter uma aula a distância até de melhor qualidade do que as aulas presenciais."

O estudo é um processo contínuo, e qualquer lacuna no aprendizado pode causar um efeito bola de neve e virar uma grande dificuldade em determinada matéria. Quem nunca perdeu alguma aula relevante de alguma disciplina, deixou de aprender conteúdos importantes para um assunto específico e acabou se vendo completamente perdido quando faltava pouco tempo para uma prova? É justamente para resolver esse problema que a Educare foi criada, uma plataforma online de apoio escolar.

O serviço atende a dois tipos de clientes: alunos que querem um reforço ou um plantão de dúvidas individual à sua disposição; e escolas que queiram oferecer monitoria e apoio escolar em horários de fora dos turnos tradicionais, para tirar dúvidas, revisar conteúdos e corrigir provas e simulados dos alunos.

No caso dos estudantes que recorrem ao serviço individualmente, as aulas particulares são imediatas, disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, sem agendamento necessário, vendidas em pacotes de 15, 30, 45 ou 60 minutos, que podem ser usados quando e como quiser. No site do serviço, a promessa é de que, “em até quatro minutos, a Educare encontra o melhor professor para sua necessidade”.

Já das escolas, o serviço cobra um valor fixo mensal por uma quantidade de horas semanais de plantão em horários específicos. “Por exemplo, uma escola quer dar dez horas de plantão por semana em cinco diferentes disciplinas: duas horas na segunda, na terça, na quarta, na quinta e no domingo, para todo seu ensino Fundamental II ou Ensino Médio. Por estas dez horas por semana, 40 horas mensais, com flexibilidade, qualidade e operação da Educare, a escola paga um valor fixo, sempre menor do que seria se a escola contratasse diretamente”, esclarece Marcio Boruchowski, CEO da Educare.

Boruchowski conta que um importante conceito da solução é o de ensino personalizado. Segundo ele, a ideia veio da percepção de que havia uma dificuldade grande de os alunos encontrarem um professor à disposição quando mais precisavam dele. Os métodos tradicionais de ensino particular também apresentavam suas falhas, “como a questão geográfica,  o preço, a agenda, a antecedência, ou seja, existia um sistema offline ineficiente”, explica.

“A ideia nasceu de trazer uma solução via ferramentas tecnológicas. A plataforma foi desenvolvida por um ano para permitir que os professores se cadastrem e os alunos consigam, com um único clique, encontrar um professor para a disciplina e assunto que desejam. Além disso, desenvolvemos um espaço destinado às aulas a distância, denominado QEducare: um quadro branco com diversas ferramentas para você dar uma aula, independentemente da disciplina”, completa.

Parte da sociedade ainda resiste à ideia de um ensino diferente do tradicional, e foi aí que a Educare encontrou seu maior desafio após o desenvolvimento da plataforma. “A principal dificuldade foi desenvolver a plataforma e, ao lançá-la, explicar para os primeiros clientes que você poderia ter uma aula a distância até de melhor qualidade do que as aulas presenciais, justamente por causa das ferramentas (de personalização, que permitem aos alunos estudar um assunto específico de acordo com seu interesse)”, explica.

Por meio de acompanhamentos das notas dos alunos e do feedback oferecido pelos próprios estudantes, Boruchowski entende que o tal efeito bola de neve tem sido diminuído entre os usuários da Educare. “A gente tem diversos indícios de que está sendo efetivo. Com as escolas, nós acompanhamos a evolução das notas dos alunos e a diminuição das retenções e das quantidades de recuperação. Já pelos alunos nós medimos por meio da frequência e do grau de engajamento do aluno com o processo de ensino-aprendizagem, já que disponibilizamos, ao término da aula, uma avaliação feita pelo professor e outra feita pelo aluno.”

Ainda em estágio inicial, a Educare atende aproximadamente 20 escolas, com mais de 270 mil minutos de aulas ministradas para mais de cinco mil alunos. Alcance possibilitado pelo apoio de investidores profissionais cujas identidades Boruchowski prefere não revelar. Para expandir o serviço, estão visitando escolas, apresentando o produto pessoalmente e participando de congressos e feiras de todo o Brasil, como a Bett Brasil Educar. Com um sistema que por enquanto se provou eficiente e contando com o feedback dos usuários, o desafio agora é mesmo o de levar o serviço para mais escolas em todo o Brasil.