Meta – Apreender

Meta


No filme O homem Sexta-feira, adaptação do romance de Robson Crusoé, os personagens Sexta-feira e Crusoé conversam sobre o que é esporte e resolvem concretizar o debate em uma corrida. O explorador explica para Sexta-feira: “Não se preocupe, vou mostrar-lhe! Mostrarei o que é o esporte. Primeiro faremos uma corrida. Direi: ‘Preparar, atenção, já!’. Depois do ‘já!’ corremos e veremos quem é o vencedor, após ultrapassarmos a linha final” e complementa dizendo que o mais importante não é ganhar ou perder, ser mais rápido ou mais lento, mas sim que “o importante é como você o faz, como corre…”.

Sexta-feira correu lentamente, apreciando cada passada. Crusoé, por sua vez, foi ágil e chegou em primeiro lugar e entendeu que ganhou aquela corrida. Sexta-feira refutou que o importante era como se corre, e não quão ágil se corre. Crusoé terminou o diálogo falando: “Sexta-Feira… Talvez essa sua visão de esporte seja muito sofisticada… Esqueça o que eu disse. O importante é vencer!”

 

Metas e métricas: o que é importante e qual o melhor jeito de fazer?

Nessa história, os dois personagens estavam com metas e métricas desalinhadas. O objetivo final e os indicadores de sucesso eram diferentes. É preciso alinhar pontos de chegada e expectativas com todos os envolvidos de um projeto definindo muito bem quais objetivos você quer alcançar em determinado espaço de tempo e quem é o responsável pelo sucesso ou fracasso das frentes de trabalho propostas pela startup. Para isso, é preciso ter metas claras e compartilhar com todos.

Vale destacar que o olhar para metas precisa estar não só no produto ou no negócio, mas na aprendizagem e no desenvolvimento que aquela solução se propõe. Que metas e métricas o negócio têm para mensurar a aprendizagem dos estudantes? Isso importa muito em educação, principalmente quando são definidas as métricas que medirão o sucesso ou o fracasso de uma ação.

Na prática

Empresas de tecnologia geralmente têm metas semanais ou quinzenais, principalmente porque trabalham com metodologias de desenvolvimento rápido nas quais uma melhoria é criada, colocada em uso e monitorada em um ciclo curto de tempo. Empresas com projetos que demandam maior esforço estabelecem metas semestrais ou anuais, com milestones – marcos de verificação – periódicos para checar se os esforços estão em sintonia com a meta.

Em ambos os casos, é muito importante criar metas viáveis. Se, por exemplo, um portal teve 300 mil visitantes em um ano, é preciso verificar se é possível atingir a meta de 1 milhão de visitantes com as ações propostas no planejamento. Por outro lado, o empreendedor também deve tomar cuidado para não estabelecer uma meta muito baixa – como 350 mil usuários, nesse caso -, que desmotive a equipe a realmente fazer um trabalho com todo o potencial possível.

A startup MelhorEscola.net, que oferece um repositório de escolas de todo Brasil para pais e estudantes que estão buscando novas instituições, é um exemplo de trabalho com metas de curto prazo e com significado. “Trabalhamos com metas mais a curto prazo. Decidimos focar nossas ações e nosso esforço de divulgação na cidade de São Paulo. A ideia é, até o fim de agosto, dobrarmos o número de avaliações de escolas que temos no nosso site”, conta o fundador Juliano Souza.

Porém, mais importante do que o número de avaliações ou acessos no site, o empreendedor reforça que entendeu que estava no caminho certo quando ele mesmo precisou buscar uma nova escola para o filho e se beneficiou com o portal que criou. “Quando se torna útil para você é o momento que a gente realmente percebe o valor do projeto”, ressalta.