Pitch – Apreender

Luciano Meira

“Parte do processo é colocar a pessoa que realmente saiba apresentar o negócio para falar.”

Imagine você, empreendedor, entra no prédio do seu dentista e encontra um famoso investidor em negócios exatamente como o que você está desenvolvendo. Por sorte, ele também entra no elevador e aperta o botão de número 12. Você tem menos de um minuto para vender sua ideia ou pode perder essa oportunidade. Esse é o elevator pitch.

Como nem sempre a sorte é tanta, muitas vezes empreendedores e potenciais investidores combinam de se encontrar em eventos e reuniões específicas para serem apresentados. No entanto, o espaço mudou, mas o tempo é o mesmo. Como vender sua ideia em pouco tempo e ter sucesso no final?

Luciano Meira, da Joy Street, vai além das dicas de realizações de pitch que qualquer internauta encontra facilmente no Google. Para ele, o mais importante do pitch é ter em mente que você está falando para outra pessoa. “Precisamos criar um diálogo em que o empreendedor reconheça esse outro. Como eu capturo o imaginário desse investidor? Qual a história dele? Se eu souber qual a história da minha audiência, eu tenho mais chance de produzir um diálogo onde eu me comunico com o imaginário desse cara”, explica.

Outro ponto importante, levantado por Meira, é a humildade nas falas e atitudes. “Aquelas pessoas estão oferecendo um tempo para ouvirem o empreendedor. É preciso ser respeitoso com o tempo deles. Não use mais do que 98% do tempo que te deram. Se puder, acabe de falar 30 segundos antes”, indica.

A última dica de Meira vem junto com uma história. Um dia, ele estava assistindo um pitch realizado pelo fundador da empresa, que não foi muito feliz em sua apresentação. Tempos depois, Meira teve a oportunidade de assistir um novo pitch dessa empresa, dessa vez com um funcionário de terceiro escalão. Foi um sucesso. A lição da história mostra que, “parte do processo é colocar a pessoa que realmente saiba apresentar o negócio para falar”.