Professores – Apreender

Felipe Correia

“Conseguimos quebrar uma barreira que parecia enorme, que era vender a ideia para os gestores escolares antes de chegarmos aos professores, e começamos a falar com quem realmente está enfrentando o problema que buscamos solucionar”.

A pesquisa Empreendedores de impacto: as dores e as delícias de inovar em educação identificou que, ao contrário da crença de que professores são mais resistentes à inovação, os empreendedores não os veem como uma barreira.

O estudo ressalta que os professores têm demanda por soluções e aceitam as novidades, mas precisam acreditar na oferta e que é quase sempre necessário fazer duas vendas: uma para os gestores escolares e outra para os professores.

Felipe Correia, da eduqa.me, enfrentou esse desafio e mudou o foco do seu modelo de negócios de venda para escolas para venda para professores. “Conseguimos quebrar uma barreira que parecia enorme, que era vender a ideia para os gestores escolares antes de chegarmos aos professores, e começamos a falar com quem realmente está enfrentando o problema que buscamos solucionar”, resume.

Ao longo do percurso percorrido com seu empreendimento, porém, novos desafios apareceram, como a falta de familiaridade dos educadores com a tecnologia, o ciclo mais curto de contratos e um volume menor de vendas quando comparado ao modelo de venda para escolas. No entanto, a história de Correia não é regra. Cada empreendimento tem uma especificidade e contará com vantagens e desafios no meio da jornada.