Árvore de Livros – Apreender

João Leal

“Nosso propósito é ajudar as escolas a contribuir na formação de leitores, de melhores leitores, de mais leitores. Não só na fase escolar, mas para a vida inteira dos estudantes”.

Como lutar pela atenção das crianças em meio à era digital e tecnológica? Com mais tecnologia. Pelo menos esse foi o caminho encontrado pela Árvore de Livros, ferramenta feita para estimular a leitura nas escolas.

Por meio da Árvore de Livros, crianças e adolescentes das escolas cadastradas podem ter acesso aos livros em qualquer plataforma digital, enquanto os professores ficam de olho no progresso dos estudantes em tempo real.  Relatórios mostram os livros que cada aluno acessa, por quanto tempo ele leu o conteúdo e se de fato leu ou apenas folheou as páginas.

Cofundador da solução, João Leal detalha a implementação do serviço na instituição de ensino, que começa com uma avaliação individual da escola por parte da empresa, passa pela orientação dos professores em como utilizar a plataforma e vai até o acompanhamento posterior. O sistema de cobrança é por aluno, ou seja, o valor – que pode ser anual, semestral ou mensal – varia de acordo com a quantidade de estudantes cadastrados pela escola no serviço.

“Assim que a escola nos contrata, nós designamos uma pessoa do nosso time pedagógico para acompanhar de perto todo o processo. Logo depois, há uma reunião de diagnóstico para verificarmos como é a situação da escola. A partir deste momento, há uma fase de capacitação e treinamento dada aos professores e gestores para usarem a plataforma. Depois, há uma ajuda didática, como a de montar um plano de leitura com indicações de livros de acordo com o perfil do aluno de determinada escola, sempre aliada à análise de dados. Por fim, ao término do ano, comparamos os dados iniciais coletados na reunião de diagnóstico e mostramos se atingimos ou não nosso proposito de melhoria de leitura”, conta o empreendedor.

Profissional de educação de longa data, com 12 anos na área da leitura, Leal conta que começou a se envolver com empreendedorismo e, há três anos, buscou algo diferente e interessante que pudesse auxiliar as escolas. “Comecei a fazer reuniões com diretores de escolas que já conhecia, visando identificar algum problema que eles tinham. Então, em uma dessas reuniões, surgiu a ideia de criar uma plataforma de livro digital. Depois, veio a fase de montar o time e começar a criar a ideia. A partir daí, montamos o primeiro produto para que já pudéssemos oferecer para a escola e, assim, as coisas começaram a caminhar por si só.”

Leal relata que os principais desafios foram a montagem do time por trás do projeto e a criação de um modelo de negócio viável tanto na hora de ser vendido como também na hora da aquisição de conteúdo, por parte das editoras.

No meio disso tudo, passaram por um programa de apoio a startups de educação, o Start Ed da Fundação Lemann, com quem são conectados até hoje. “Agora, o desafio é basicamente como a gente consegue escalar esse produto para outros lugares com mais velocidade. Atualmente já estamos em mais de 800 instituições, mas nosso grande desafio é aumentar este número de maneira veloz”, completa.

Apesar de o efeito imediato da Árvore de Livros ser o melhor acompanhamento do desempenho dos alunos por parte dos professores, o objetivo principal vai longe – e pode fazer enorme diferença nas futuras gerações se tudo caminhar bem: “Nosso propósito é ajudar as escolas a contribuir na formação de leitores, de melhores leitores, de mais leitores. Não só na fase escolar, mas para a vida inteira dos estudantes”.